Ministros de Turismo do MERCOSUL deliberam sobre promover a região como produto turístico integrado

0
174

A XXVI Reunião de Ministros de Turismo do MERCOSUL reuniu, no Paraguai (país que exerce a presidência pro tempore do bloco), Matías Lammens, da Argentina; Tabaré Viera Duarte, do Uruguai; Sofía Montiel de Afara, do Paraguai; do Chile, a vice-ministra Verónica Kunze; do Brasil e o Secretário de Atração de Investimento, Heitor Magalhães de Sousa. Na pauta, foram abordados principalmente trabalhar na promoção turística do bloco como um produto integrado, de forma também a promover a conectividade aérea. A representante da Secretaria Nacional de Turismo do Paraguai, Sofía Montiel de Afara, destacou que isso será imprescindível para a reativação turística não só na operação de unir novos destinos, mas também no desafio de aumentar as frequências atuais. “É transcendental do ponto de vista turístico poder unir a nossa região através da facilitação, e além das companhias tradicionais, aumentar as frequências dos low cost de maneira a oferecer vantagens e oportunidades para todos”.

Segundo dados do Banco Central, o gasto de turistas estrangeiros no Brasil alcançou US$ 781 milhões em janeiro e fevereiro de 2022, uma alta de 63% na comparação com o mesmo bimestre de 2021 (US$ 480 milhões). Nos primeiros dois meses de 2022, conforme o Sistema de Tráfego Internacional da Polícia Federal, mais de 530 mil viajantes de outros países vieram ao Brasil. De acordo com a assessoria do MTur, “o Ministério do Turismo vê o setor aéreo como um importante impulsionador do turismo tanto no âmbito interno como em parceria com os países da América do Sul. O turismo está diretamente ligado à aviação civil. Então, iniciativas que busquem melhorar a conectividade, a oferta de voos, o ambiente de negócios e a atração de investimentos, além da redução do custo das passagens, são muito bem-vindas”.
Ainda de acordo com a assessoria, o MTur continua buscando soluções para melhorar a conectividade aérea interna e com o mundo. Em parceria com o Laboratório de Transportes e Logística da Universidade Federal de Santa Catarina (LabTrans/UFSC, o MTur apresentou um diagnóstico da infraestrutura de transportes das 30 rotas turísticas estratégicas do Brasil, contempladas no programa Investe Turismo. A iniciativa possibilita o planejamento de melhorias no transporte turístico de passageiros no país.

Outro tema abordado na reunião foi a Rota Jesuítica multidestino, que une 5 países, e sobre isso os Ministros aprovaram marcar um roteiro de maneira a consolidá-los e reconhecer-se o legado jesuítico em nível internacional.

Sobre a Rota Jesuítica multidestino

Em abril de 2019, os ministros do Turismo do Mercosul assinaram um acordo que, de forma definitiva, instituiu a Rota do Caminho dos Jesuítas, roteiro de turismo religioso que conta com Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia. De acordo com o MTur, “a rota revive a saga dos primeiros padres da Companhia de Jesus, os jesuítas, que em 1609 atravessaram o mundo para conviver com os índios guaranis dentro dos princípios da fé cristã. As Missões são lugares de visita fundamental a quem pretende entender as raízes do sul do Brasil e da América Latina e apresenta aos seus visitantes diversos patrimônios culturais da humanidade, descortinando o cenário de 160 anos de história, onde Jesuítas e Guaranis realizaram os ideais do Cristianismo na prática”.

O Mapa do Turismo Brasileiro, ferramenta do MTur, categorizou a parte da rota localizada no Brasil como Rota das Missões, que inclui 26 municípios do Rio Grande do Sul. São eles: Bossoroca, Caibaté, Cerro Largo, Dezesseis de Novembro, Entre-Ijuís, Eugênio de Castro, Garruchos, Giruá, Guarani das Missões, Mato Queimado, Pirapó, Porto Xavier, Rolador, Roque Gonzales, Salvador das Missões, Santo ngelo, Santo Antônio das Missões, São Borja, São Luiz Gonzaga, São Miguel das Missões, São Nicolau, São Paulo das Missões, São Pedro do Butiá, Sete de Setembro, Ubiretama, e Vitória das Missões.

A rota faz parte do turismo religioso, que faz circular US$ 4,4 bilhões em 20 milhões de viagens internacionais por ano no mundo. No Brasil, o segmento movimenta anualmente R$ 15 bilhões em 8,1 milhões de viagens domésticas.

*Com informações da Assessoria do Mercosul

Foto de capa: Site Mercosul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome